Por que ainda precisamos falar sobre qualidade de vida no trabalho?

Por que ainda precisamos falar sobre qualidade de vida no trabalho?

“Esqueça o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, concentre-se na qualidade de vida”. A frase é de Michel Landel, ex-CEO da Sodexo, empresa reconhecida como líder mundial em serviços.

A discussão sobre qualidade de vida no trabalho ganhou força umas boas décadas atrás (mais especificamente, nos anos 60), mas foi somente nos últimos anos que passamos a discutir mais sobre o tema. É bem provável que você já tenha ouvido falar – ou até já sentiu na pele – que a qualidade de vida influencia na produtividade e no quão bem você realiza suas tarefas do dia a dia.

Como explicou Michel Landel, “todos nós sabemos que os pacientes se recuperam mais rapidamente quando a qualidade de seus cuidados é melhorada. Também sabemos que crianças incentivadas a comer bem e a praticar atividade física se saem melhor na escola”.

Mas, então, por que a qualidade de vida no trabalho ainda precisa ser discutida?

Dan Pink, em seu speech no TedGlobal 2009 (no final deste post mostramos o vídeo), fala que na nossa cultura o trabalho ainda é percebido como uma relação de recompensa e punição. Quem trabalha mais, tem mais chances de receber uma promoção. Quanto menos resultados uma pessoa trouxer, menor será seu bônus.

Pense o seguinte: por um acaso alguém já disse a você que quanto maior for sua qualidade de vida, mais alto será seu contracheque no final do mês? (se alguém já falou isso pra você, conta pra nós porque essa história merece ser compartilhada 🙏)? Pois é, em uma sociedade que ainda trabalha com a relação de recompensa e punição é muito difícil entender como a qualidade de vida no trabalho entra na equação.

É importante destacar que cada um de nós tem uma maneira para definir o que é qualidade de vida, assim como a percepção de sucesso varia de pessoa para pessoa. Por exemplo, pode ser que para você qualidade de vida no trabalho seja sinônimo de ter horário flexível, enquanto que para outra pessoa seja poder realizar suas atividades em um ambiente mais descontraído.

Na verdade, não importa muito qual seja sua definição, o que importa aqui é entender que é possível – e muito – trabalhar ao mesmo tempo em que temos qualidade de vida.

É aí que voltamos para a frase de Michel Landel

“Esqueça o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, concentre-se na qualidade de vida”. E o que podemos entender, na visão de Landel, sobre qualidade de vida? Para ele, “a qualidade de vida engloba todos os ingredientes que demonstram um interesse genuíno e investimento nas pessoas”.

Isso pode ser desde ter horários flexíveis até estar em um ambiente de trabalho em que seja possível escolher entre trabalhar ou não ao ar livre, dar uma pausa no meio da natureza ou sentar em um sofá para bater um papo e refrescar as ideias. Ou seja, toda empresa que incentiva estilos de vida mais saudáveis, além de uma rotina mais equilibrada e produtiva, já entendeu que qualidade de vida e produtividade andam de mãos dadas.

E para quem trabalha em casa (home office) e sente que precisa acrescentar um pouco mais de qualidade de vida no trabalho, ou é um empreendedor que ainda está lutando para manter saudável a relação entre equilíbrio e produtividade? Se um destes for o seu caso, uma dica é experimentar trabalhar em locais que, mais uma vez, nas palavras de Lendel, “demonstram um interesse genuíno e investimento nas pessoas”. Traduzindo: que sejam incentivadores de novas formas de trabalho.

Caso você queira sentir na prática o que isso significa, deixamos aqui o convite para que conheça o Bonjour, coworking em Joinville que busca aplicar os conceitos de qualidade de vida no trabalho. Ligue para (47) 3121-9730 ou entre em contato e marque sua visita! Será um prazer apresentar nosso espaço e conversar com você.

Para encerrar com chave de ouro, assista ao speech de Dan Pink: